Transcrição:
Clique na frase para navegar pelo vídeo

Ao começarmos esta tarde, gostaria que vocês pensassem em um conflito que existe em sua empresa familiar, na sua família,

ou um conflito que seja significativo. Porque eu gostaria que vocês deixassem esta tarde

com algumas opções de como lidar com conflitos. E devemos deixar algo claro desde o início. Conflito por si só é uma coisa positiva. Vocês podem concordar com isso?

Muitas pessoas evitam conflitos. Elas tem medo de conflitos, não gostam de conflitos e existe uma grande variedade de razões pelas quais isso acontece. Mas para se tornar bom lidando com conflitos você tem que começar com uma mentalidade

de que há uma oportunidade, há algo positivo que pode acontecer como resultado do conflito. E isso se torna a base de todo o processo que é a resolução de conflitos. E vamos imediatamente para uma definição de conflito.

Porque em todas a sua complexidade, conflito é algo muito simples. Tudo se resume a isso, conflito é a diferença entre duas ou mais pessoas ou grupos caracterizada por tensão, emotividade, discordância ou polarização.

Mas aqui está a palavra chave, apenas quando falta um vínculo. Falaremos muito sobre esse vínculo. hoje, e entre muitas áreas de conflito com que eu lidei em minha vida, uma das mais interessantes foi ser um negociador de reféns por 35 anos.

Eu até já fui refém 4 vezes, e eu estou muito feliz de estar aqui hoje de tarde. A razão pela qual estou aqui, foi a capacidade de criar um vínculo e se engajar em um diálogo

descobrir o que estava causando a tomada de reféns no início e procurar uma opção, um benefício além da dor. Você pode ter uma pequena diferença e você quebra o vínculo e acaba tendo um grande conflito.

Ou você pode ter uma diferença grande, enorme

e você mantém a conexão do vínculo e você não vai ter um conflito. Por isso que você tem que começar a pensar como faço para criar um vínculo com as pessoas que eu não gosto? Você tem que gostar de alguém para formar um vínculo com eles?

Não. O que precisamos? Um interesse em comum ou um objetivo em comum. Isso é tudo. E muitas vezes o que acontece é que você começa não gostando de alguém.

E com o passar do tempo trabalhando juntos, você descobre que você tem alguns pontos em comum e isso é como construir uma ponte. E o que queremos pensar é que conflito é parte de como jogar para ganhar.

Esta é uma idéia muito poderosa, porque muitas pessoas não jogam para ganhar, eles jogam para não perder. Eles jogam para destruir algo. Eles não pensam em como construir. O plano de vencer é uma atitude que se traduz em comportamento.

Conflitos podem destruir uma família. Conflitos podem destruir uma família. Quantos de vocês já viram conflitos realmente destruir resultados? É realmente triste às vezes, mas não precisa ser.

porém, certas coisas tem que acontecer. A parte do líder nisso é que, como líder, você tem que lidar com conflitos, você tem que acordar de manhã

dizendo como eu gosto de conflitos, eu não posso esperar até ter que lidar com o meu primeiro conflito.

Espero que não seja com o seu cônjuge ou os filhos ou o cachorro. Mas a mentalidade tem que ser. E sei que é uma declaração forte dizer que goste de conflitos, mas você tem que gostar de resolver conflitos. Porque, como líder

isso é a parte mais importante de seu trabalho.

Nelson Mandela passou 27 anos na prisão, ele não teria o direito de estar com raiva e ressentimento? Ele saiu falando de reconciliação e de perdão.

Na verdade, ele criou um forte vínculo com os guardas da prisão e com muitas pessoas ao seu redor. E ele usou um poema. Mas e se vocês quiserem ver um filme muito bom sobre liderança, "Invictus" é um bom exemplo. E ele usou um poema.

Nesse poema, temos as palavras "eu sou o mestre do meu destino,

eu sou o capitão da minha alma.? Veja aqui uma das lições mais importantes que você pode aprender nesta tarde. Você não precisa ter uma arma em sua cabeça e uma faca em sua garganta para se sentir como um refém.

Há mais pessoas que se sentem como um refém no trabalho, em situações familiares, ou situações pessoais, ou de um chefe, de um colega, de uma criança, de um professor, de sogros, inúmeras possibilidades.

Como líder, você tem que ser capaz de nunca mais ser refém de alguém ou alguma coisa. Mesmo se você estiver com alguém apontando uma arma para a sua cabeça você não tem que se sentir desamparado. Ser um refém mentalmente é uma escolha.

É muito importante perceber no negócio familiar, ou em qualquer negócio, que energia faz parte de ser bem sucedido. Para ser um líder bem-sucedido você precisa de energia. Você concorda com isso?

E há muitas pessoas que tem sua energia drenada E há muitas pessoas que tem sua energia drenada por depressão, perdas, frustrações, conflitos, o que quer que seja. Então, no final do dia você tem que voltar para as pessoas que estão em seu negócio familiar,

para as pessoas ao seu redor, a equipe com que você trabalha, pois conflito drena energia. Conflito destrói a energia ou transforma energia em um processo destrutivo. Então há pessoas que se tornam muito energizadas Então há pessoas que se tornam muito energizadas com vingança, destruição, com algo que não leva a um bem comum.

Você tem em sua mente um ponto que determina no que você foca. Você já reparou que algumas pessoas sempre focam no negativo? Não importa, eles vão sempre encontrar algo errado, algo para reclamar.

Certa vez conheci alguém que ganhou 2 milhões de dólares na loteria dos EUA e ele estava tão chateado que ele teve um ataque cardíaco e o médico dele pediu para que ele buscasse ajuda.

Quando eu falei com ele, eu fiquei chocado com o que ele estava mais preocupado com os impostos. Ele estava chateado e não conseguia aproveitar 70% do dinheiro porque ele estava apenas focado no que ele estava perdendo

E esse é outro ponto que eu vou fazer hoje à tarde é o quão poderoso a perda é para motivar as pessoas. E então você vê aquelas pessoas que são positivas, não importa no quê. Elas encontram uma oportunidade em cada situação

que vem à tona.

Sabemos que existem pessoas que jogam para ganhar, eles estão em estado positivo de foco. Você possivelmente não pode ser um líder eficaz e viver em um estado negativo.

Você vê aquela primeira palavra, estado? Isso é a sua energia, a sua atitude, seu tom de voz, é o seu jeito de estar presente. Se eu vier aqui no palco sem energia e eu dizer que estou muito feliz de estar aqui hoje.

Qual o impacto que isso tem em você? Esse estado tem um impacto negativo.

Eu tenho que manter os olhos da minha mente focados no que eu estou fazendo e entrar no estado de mente correto, pois isso é o que determina o resultado. Sabemos que o foco negativo gera perdedores ou na maioria dos casos,

pessoas que jogam para não perder. Eles resistem a dor da mudança, o medo do desconhecido. Seu cérebro realmente precisa de mudanças, curiosidade, aprendizado

coisas novas para ajudar a estimular o sistema nervoso de modo que você possa ser vibrante e próspero.

Isso é a segunda coisa. E a terceira coisa que você precisa é de líderes Alguém ao seu redor que você tenha como base segura para ajudar a criar essa confiança, para desligar essa lanterna,

para parar de procurar pelo perigo, e começar a procurar pelas oportunidades. Isso se torna o dever do líder. Eles tem que ser uma base segura. Essa é a base da ideia do livro, "Care to Dare? - Cuidar para Ousar. Você precisa de uma certa quantidade de carinho,

e pode ser uma pessoa, pode ser um lugar, pode ser um objeto, uma coisa, um sonho. Quem sabe a quem estamos vinculados? Nós vamos falar um pouco mais sobre isso mais tarde.

Mas você precisa de uma base segura, para ser capaz

de desligar esse sistema defensivo. A mudança não é algo que naturalmente resistimos, embora muitas vezes é isso que nos ensinam. Quantas vezes você já viu alguém fazer uma mudança

em um emprego, em uma casa, na escola, qualquer que seja a mudança, e eles fazem isso porque querem. Eles veem o benefício dessa mudança. Eles não estão focados na dor.

É como correr uma maratona. Algum corredor de maratonas aqui?

Um, dois? Tudo bem. Quantos de vocês conhecem um corredor de maratona? Um maratonista é um bom exemplo, porque quando você está correndo uma maratona se você focar na dor, o que acontece? Você para. Você tem que focar no benefício. Você tem que manter e m mente o que é o benefício. Você é um viciado em benefícios.

Você não pode pensar na dor, no que pode dar errado, mas você tem que pensar em quais são as oportunidades. Eu vou te dizer como isso é sério. A doença de Alzheimer que está prevista para ser incontrolável nos próximos 30 anos,

você pode retardar ou mesmo prevenir o aparecimento da doença de Alzheimer, fazendo algo novo todos os dias por cerca de 15 minutos

um instrumento musical novo, uma nova língua, uma nova rota para trabalhar, o que pode desafiar seu cérebro. Você sabe, eu estou sempre espantado com as pessoas dos Estados Unidos que vão para a Europa, chegar a outro país, e eles dizem: "Oh, essa comida é terrível. Eu não consigo entender nada. Onde é o McDonalds? Onde é o Starbucks?"

É como uma base segura, ao invés de deixar a mente ser exposta a algo novo. Aprenda a gostar do que não gosta. O segredo de um desempenho melhor é aprender a gostar do que você não gosta,

porque é isso que você tem que fazer.

Formando um vínculo. Todos nós precisamos de um vínculo. Precisamos de uma conexão com uma casa, um lugar, uma pessoa, com dinheiro. Você ouviu John falar de riqueza hoje de manhã e como as pessoas podem se apegar a riqueza,

ou você ouviu a segunda palestrante falar sobre seu grande amor e paixão pelo que faz, o apego dela ao compromisso.

Este é o primeiro passo para um animal de estimação, para uma casa, uma pessoa, o que seja possível em termos de afeto. Mas com o afeto vem o vínculo. Este é um processo psicológico especial que também é físico, emocional, intelectual e espiritual.

É como você se conecta com a energia.

Se você está vinculado a alguém, isso produzirá mais energia, positiva ou negativa. Se você odeia alguém, você obterá energia através do ódio. Uma das experiências mais tristes da minha carreira é observar em muitas partes do mundo as pessoas que passam suas vidas vingando.

Nunca superando alguma coisa, nunca perdoando e desperdiçando suas vidas procurando por vingança. Há duas vítimas, a vítima original, e a pessoa em si.

Precisamos de união, e o vínculos com as pessoas é fundamental. Quando falamos sobre o vínculo material, um apego ao dinheiro e as coisas materiais, isso é bom, mas tem que ser equilibrado com o vínculo com as pessoas.

Há 20 % da população que não sabe como formar laços com as pessoas, e eles são em sua maioria do sexo masculino, na sua maioria são muito inteligentes e trabalham nas áreas de engenharia, finanças, arquitetura, e assim por diante.

Mas eles tem a inteligência emocional de um mosquito. O que você quer fazer com mosquitos? Você quer matá-los. Habilidades interpessoais e a capacidade de se conectar com as pessoas,

mesmo se você não gosta deles, isso é um talento fundamental que todos temos que desenvolver.

O nosso cérebro e os cérebros das pessoas com quem estamos trabalhando, e, especialmente, como empresas familiares, os cérebros dos nossos familiares, tanto como os membros que trabalham em nossas empresas familiares. Se eles estão estressados, se estiverem em ambientes tóxicos,

eles podem estar matando os neurônios ao invés de criando-os. E é sempre possível criar novos neurônios. E mesmo que haja alguma predisposição genética, você pode mudar.

Há toda uma ciência que infelizmente não vou poder me aprofundar nisso, que a mentalidade pode realmente ativar os genes que provocam certas doenças, ou que a mentalidade pode desativar o gene. É uma nova ciência de como a

mentalidade e experiência social realmente afetam os nossos genes. Dr. Lipton em sua pesquisa é capaz de demonstrar claramente como podemos realmente mudar o DNA,

porque é um sistema de sinalização do modo como pensamos,