Transcrição:
Clique na frase para navegar pelo vídeo

Ok, Salim, muito obrigado pela sua apresentação. Você veio aqui palestrar para a HSM e nós somos muito gratos por isso,

e vou começar te perguntando sobre o futuro. Você mencionou carros que se autodirigem, e exemplos de inovações disruptivas em setores como a saúde,

educação, energia... Em que direção vai o mundo? - Estamos em um período muito único, onde o caminho da inovação tem acelerado muito drasticamente.

Vimos, por 60 anos, a lei de Moore e a computação duplicar de capacidade a cada 18 meses. Mas agora esse padrão vem acontecendo com uma dúzia de outras tecnologias.

Drones, impressão 3D, biotecnologia, ciência... Todos esses avanços estão duplicando, cada um no seu próprio ritmo,

e a forma com a qual se interceptam agrega um outro multiplicador à equação. Nunca na história vimos tantos avanços tecnológicos, é o período mais disruptivo em toda a história do business.

- Temos o seu livro aqui, “Organização Exponencial”, traduzido pela HSM para o Brasil, em português. E o que é Organização Exponencial?

- Estamos acostumados a rodar programas de singularidade que duram 1 semana e eu moderava e geria esses eventos. E me deparava com a afirmação de que estamos sobre muita disrupção,

o que faria na segunda-feira seguinte, quando eu voltasse ao escritório? Então começavam a desenvolver amostras de como as pessoas reagem a isso,

e na pesquisa do livro, descobrimos que aprendemos a escalar tecnologia muito bem. Mas criar a própria organização é doloroso, complexo e linear,

assim como toda empresa e empreendedor sabe. Temos visto ao longo dos últimos 5 anos um novo tipo de empresa que vem se escalando tão facilmente quanto escalamos tecnologia.

E o que acontece é que elas alcançam uma performance 10 vezes superior à do seus concorrentes. Descobrimos 100 empresas que têm operado dessa forma.

Portanto, o livro analisa quais as técnicas que elas utilizam para escalar-se, e a segunda parte mostra como fazer isso você mesmo, como aplicar isso na sua própria empresa.

- Você poderia expor alguns exemplos de Organizações Exponenciais que são conhecidas mundialmente. O que as faz ter esse perfil? - Se você observa a Airbnb ou a Uber,

a Airbnb é agora a maior cadeia de hotéis no mundo, e eles não possuem nenhum hotel. A Uber representa mais de 50% das despesas gastas com transporte empresarial

nos EUA sem possuir nenhum carro. Esse novo tipo de organização que eleva os bens de outras pessoas ou outro tipo de mão-de-obra,

assim como a Uber não contrata seus próprios motoristas, e por isso eles podem crescer muito rapidamente. E como disse, temos visto algo dramático além das fronteiras,

pensamos que isso fosse apenas em mídia, publicidade e música, mas agora estamos vendo também em carros, hotéis, e outras indústrias tradicionais que jamais consideraríamos.

Pegue como exemplo o setor de energia. Pensar nisso assusta, mas em breve teremos um problema com energia. E o mundo mudará drasticamente assim que isso acontecer.

- No processo de transformação para a Organização Exponencial, quem sofre mais? E por quê?

- Bom, se você é uma grande organização, começa a ficar complicado de se adaptar às mudanças. As empresas foram criadas para resistir às mudanças, ao risco,

e agora vemos que é isso que está levando as coisas adiante. E no caso de uma grande empresa, é uma corrente de acompanhar, pois o mercado tem mudado muito rapidamente.

Portanto, isso vai gerar...

Uma grande empresa, então, corre muitos riscos hoje. - Como transformar líderes, se as escolas não estão fazendo isso, transformá-lo em líderes exponenciais?

- Existem duas ou três peças-chave, a primeira é: todos os programas de MBA estão desenhados para o modelo do séc. XX. Você pega uma capacidade principal,

você dirige uma cadeia de produção operacional, um back-end e então entrega o mesmo widget em 100 países, eles foram construídos para escalonar e voltados à produtividade.

Os programas de MBA precisam entender que precisamos de 3 coisas em um líder: a primeira é estar consciente de que a tecnologia é a força motora por trás da disrupção e mudanças em todos os lugares,

que apenas começou e ainda vai acelerar daqui em diante. A segunda é que agora é requerido um padrão muito diferente para auto-gerencia enquanto líder,

agora você tem que ser muito flexível, adaptável e escutar ao seu redor, muito mais do que você está acostumado.

A antiga premissa que diz que a sua experiência em uma indústria te dá uma grande vantagem, já era. Agora, alguém que vem com uma mente de um iniciante

pode trazer novas tecnologias que derrubam o status-quo. Mencionei Elon Musk que não tem experiência com carros, espaço ou energia,

e ainda assim criou líderes de mercado em todos esses setores. É preciso ter uma mentalidade diferente. A terceira coisa é que as empresas precisam começar a correr riscos

e aprender ativamente. Copiar o mesmo widget 100 vezes não será suficiente no novo mundo. Você precisa se adaptar muito rapidamente a esse novo mundo.

Portanto: se organizar, estar consciente do que acontece, e começar a ouvir muito mais. - O que é a Singularity University?

E o que a faz tão especial? - Nós somos um pedaço Think Tank, pedaço academia e pedaço incubadora. Nós acreditamos ser um novo modelo de Universidade,

o conceito de Universidade não mudou em aproximadamente 500 anos. Se o seu iPhone tivesse 500 anos, você não estaria muito feliz com isso. E ainda assim nossas Universidades não mudaram em alguns séculos.

Acreditamos que esse seja um modelo ativo para dizer: “Não vamos apenas ensinar o passado, vamos ensinar o futuro da tecnologia.” Nosso foco principal está em acelerar a tecnologia,

pois achamos que há tantos pontos fortes para levantar, se você desenha uma solução baseada em crescimento, a solução irá acelerar com a linha, dobrando padrões em drones.

A resolução que temos no cérebro é dobrar em um ano. Se você cria um produto desenhado no topo disso, o produto irá naturalmente melhorar duas vezes a cada ano.

Nós podemos criar novas soluções e então encorajar novos empreendedores a elevar novas tecnologias para solucionar problemas globais. Portanto, um pedaço Think Tank, parte academia, parte incubadora,

somos muito únicos por 3 razões: focamos na aceleração de tecnologias, somos muito focados no futuro,

e somos muito interessados em resolver ativamente problemas globais. Queremos lançar companhias que podem resolver água potável, energia, sistema de saúde, pobreza,

fome, corrupção, etc. - Vamos imaginar o futuro. Acho que você pensa nisso todos os dias.

Então, apesar da tecnologia, possivelmente você não estará aqui em 100 anos. Como você gostaria de ser lembrado?

- Gostaria de ser lembrado por ajudar a mudar a consciência do mundo, de um modelo unificado para um modelo de separação. Peter de Man é provavelmente o líder nesse esforço,

escrevendo seu livro sobre o assunto, que na verdade saiu da Singularity University, mas acredito que criar o modelo de governança e base para o que esse novo mundo parece

é algo pelo que acho que serei lembrado. E vou te alertar que com todas essas novas tecnologias, é muito provável que eu estarei, sim, vivo daqui a 100 anos.

- Oh! Me desculpe. Espero te encontrar daqui a 100 anos, então. Muito obrigado. - Por nada.