Transcrição:
Clique na frase para navegar pelo vídeo

Como você se torna um autêntico líder global? E construir a sua liderança? E construir a sua empresa? Ser um autêntico líder global é algo muito diferente.

Aquele pensamento tradicional do que é gestão, vamos à escola, aprendemos, desenvolvemos habilidades no trabalho e adquirimos visão crítica, mas a liderança está um degrau acima disso.

Qual o propósito da liderança? Se você trabalha 50, 60 ou 70 horas por semana, por que está fazendo isso?

E por que eu quero seguir os seus passos se você não tem um objetivo? Você sabe o seu caminho? Sabe o que quer construir? No fim do dia, para o que você quer olhar e dizer:

"Isso é o que será criado." Outra coisa é que ser um líder não é diferente de ser um atleta, ou ser um músico.

Você precisa praticar todos os dias, a melhor hora para aprender é agora. E a melhor forma de aprender é através da experiência, não há escola que te ensine como liderar.

Terceiro: subir de uma liderança doméstica para uma liderança global é um grande passo. E como você dará esse passo? É sobre isso que falaremos hoje.

Liderança é o que faz a diferença entre sucesso e fracasso.

Falam sobre destruição criativa. Ela vem de uma liderança fracassada.

E acho que o que realmente acontece é que os líderes colocam os transtornos em termos curtos, eles fazem esse jogo de curtos prazos e sacrificam os seus futuros.

Eles param de investir em pesquisa e desenvolvimento, param de se inserir em novos mercados, se mantém apenas no mercado existente.

E o pior sintoma, para mim, é aquele líder que coloca à frente da instituição seus interesses pessoais. E primeiramente, todos os líderes os quais estudei a falha,

não falharam por falta de QI. Não foi falta de inteligência. QI e liderança só estão relacionados até o nível 120 de QI,

acima disso, o que toma lugar é a inteligência emocional. Esses líderes não tinham autoconsciência. Eram incapazes de encarar sua própria realidade e admitir seus próprios erros.

E se você enquanto líder não pode fazer isso, se não tem coragem de dizer que estava errado, admitir seu erro e seguir em frente, então a instituição inteira sofrerá.

Muitos líderes simplesmente gostam de dar ênfase ao consumidor, aos empregados que estão liderando. Ou então não mostravam uma paixão pela missão, era apenas uma empresa.

Não tinham uma paixão pela missão e os valores que a empresa compartilhava. E todos sabem quando é uma questão de poder e não de construção de uma empresa. Devemos pensar nas qualidades que acabei de mencionar.

Paixão, compaixão, empatia e coragem, essas quatro qualidades. Essas são importantes para o emocional, não para o racional. Logo, grandes líderes não precisam apenas serem espertos, mas devem ter integrados

aspectos emocionais e racionais. E se pensarmos em todos os grandes líderes, eles tinham essa capacidade. O principal objetivo é manter seu sucesso ao criar valor para todos os stakeholders.

Não apenas os acionistas a curto prazo, e se você for o dono, não apenas você enquanto dono. Mas você precisa agregar valor aos seus clientes,

se não consegue agregar um valor maior aos seus clientes e seus concorrentes, eventualmente você estará fora do mercado. Mas você tem também a obrigação de agregar valor aos seus funcionários.

Para seus acionistas, seus gestores, seus investidores... E frequentemente operamos ao redor do mundo em países onde somos estrangeiros, então temos que agregar valor aos governos locais, às comunidades locais

e até mesmo às ONGs que estão ligadas à nossa indústria.

É um mundo caótico. E um mundo muito complexo. Nesse mundo tão caótico e complexo, precisamos enxergar além disso.

E é um ambiente ambíguo. Muitas vezes vago e incerto quanto ao destino das coisas. Como, enquanto líderes globais, nós devemos mudar para sermos efetivos nesse contexto? Sugiro que, por todos os fatores,

você precisa saber aonde vai e não pode sair do caminho. Precisa ter foco, não pode ser tirado do caminho. Precisa ter a capacidade de ver através daquela névoa de incerteza

e ter a compreensão de como o mundo funciona. Como tudo é diferente em outras partes do planeta, e como as coisas funcionam de verdade e não de forma teórica.

É necessário clareza para ver além das fronteiras e tentar prever onde as coisas vão terminar em um tempo futuro. Talvez o mais importante é que você consiga se adaptar.

Os países vão crescer e quebrar, da mesma forma que as empresas também, as indústrias vão mudar, a tecnologia vai mudar... Você precisa se adaptar a esses mercados e tecnologias mutáveis,

condições econômicas variáveis, como as que estamos vendo no Oriente Médio agora, e ainda assim obter sucesso. Isso requer um alto nível de flexibilidade e resiliência.

Para ser um líder nesse mundo globalizado, percebemos que as empresas estão sob o comando de líderes autênticos, tão competentes no seu trabalho que as empresas são mais competitivas,

mais produtivas e mais lucrativas. E nesse cenário, serão contratados e desenvolvidos aqueles líderes que possuem habilidades para otimizar a sua vantagem competitiva ao redor do mundo.

Acho que como líderes globais, nossa primeira função, e a mais difícil de todas as funções, é alinhar os funcionários com a nossa missão e os valores.

No fim das contas, é isso que importa. Outro assunto que vamos abordar é qual a diversidade da sua equipe. Não estou falando de diversidade em etnias ou gêneros, mas sim de experiência de vida.

É necessário ter uma equipe que reflita a diversidade da sua base de consumidores. E finalmente, talvez o mais importante, cada uma de suas empresas - se você quiser ter sucesso no cenário global -

precisa ter uma equipe de líderes em que confiaria mandar a qualquer lugar do mundo. Você está oferecendo oportunidades para os líderes emergentes chegarem ao topo da sua organização sem se importar com a nacionalidade deles?

Quais são as qualidades que buscamos em líderes globais? O que estou sugerindo aqui é um novo nível de inteligência, que chamo de IG - Inteligência Global.

É construída a partir da sua própria inteligência, crua, nativa, suas capacidades analíticas e todo o tipo de inteligência que adquire e que desenvolve ao longo da sua vida escolar.

É feito a partir de inteligência emocional, uma espécie de autoconhecimento de saber "quem sou eu" e estar confortável com isso. Temos que nos adaptar ao contexto global assistindo empresas subirem e cairem.

Então precisamos de uma visão global, mas parte disso é composta pela compreensão da cultura na qual você foi criado, para não impor os preceitos sob os quais fui criado em outro povo.

Ter ciência de avaliar o quão seguro se sente nesse meio ambiente, dessa forma pode aprender o melhor daquela cultura. Depois, ainda relacionado à curiosidade cultural,

ter uma empatia com as diferentes mentiras com as quais as pessoas crescem. Pois assim temos a habilidade de ligar às pessoas à missão, os valores da organização. Uma organização sem integridade, que não passa a verdade, que não é transparente,

não sobreviverá muito nessa época de comunicação e informações abertas. Capacidade de integração. Pense globalmente, aja localmente.

O oposto diz que não, que é necessário pensar localmente, é preciso entender o mercado local, entender as muitas nuances e surpresas desse mercado.

O que significa ser um líder autêntico no séc. XXI? E para mim, nosso trabalho é: Alinhar as pessoas com a missão e os valores.

Dar poder para que eles liderem, nossa função é dar poder aos outros, enquanto servimos os nossos stakeholders, ou estamos colaborando em outras ações, para que sustentemos resultados superiores.

O seu norte deve ser suas crenças mais profundas, os valores que segue em sua vida e os princípios com os quais você lidera. Pense sobre isso.

Essa ainda não é a parte mais difícil, acabamos saindo do rumo. Nos rendemos às pressões ou às seduções. É tão triste ver jovens líderes que perdem o seu foco...

Eu também perdi o foco algumas vezes, acho que todos passamos por isso. A pergunta é: quando saímos do foco, conseguimos voltar? Conseguimos retomar nosso verdadeiro rumo em direção ao que acreditamos?

E o verdadeiro rumo não é o mesmo para duas pessoas nesse auditório, nem para duas pessoas no resto do mundo, não existe uma verdadeira forma de viver. Temos que encontrar o nosso verdadeiro eu, é isso que de fato importa.

Quais são os desafios que você enfrenta em sua vida? Quais são as coisas desafiadoras? O que te define como líder? Encorajo vocês a pensar nisso hoje.

Fale sobre isso com seus amigos, colegas de trabalho, alguém que esteja ao seu lado, e pense sobre isso, escreva sobre isso. Acredito que descobrirá o que te define enquanto líder, a pessoa que quer ser.

Não há mágica para se tornar um líder autêntico, é preciso ser uma pessoa autêntica. Escute sua voz interior, a voz que vem de dentro de você. E o mais importante,

tenha coragem de seguir seu coração naquilo que mais deseja. Se está tomando uma grande decisão, e está entre sua cabeça e seu coração, escute seu coração. Escute sua intuição.

Ela te dirá o que é bom para você, talvez não seja bom para outro, mas ela te dirá o que é bom para você. Acho que para se tornar líder e sustentar uma liderança, precisamos de um plano.

Precisamos de um plano para nos desenvolver, como se fossemos jogar tênis em Wimbledon. Ou se quiséssemos ganhar a Copa do Mundo, ou se quiséssemos ir para o Cardigie Hall. Para entrar no jogo, é preciso ter um plano.

E acho que devemos começar desenvolvendo autoconhecimento. Isso vem da sua história de vida, do que é importante, é isso que te proporciona o autoconhecimento.

Mas há duas coisas realmente importantes. Como adquirir autoconhecimento? Levou muito tempo para que conseguíssemos essa autoconsciência.

Bom, nós não nos conhecemos. Há duas maneiras de fazê-lo, eu acho que precisamos ter, não importa o quão ocupados ou ativos,

precisamos ter um momento introspectivo. E a segunda coisa é mais importante, ter um feedback honesto. Quem é honesto com você? Quem está disposto a ser verdadeiro?

Quem te falará a verdade e te dará um feedback honesto? Isso é muito crítico. Então essas duas coisas,

se você possui um grupo que é honesto para te fornecer um feedback - não há ninguém melhor que a minha esposa para isso. E ter tempo para refletir sobre o que é importante.

Aí você adquire autoconhecimento. A partir disso você sente paixão por você mesmo, não dá para amar outra pessoa se você não ama a si mesmo.

E você adquire certo nível de autoaceitação.

E por último, quando você consegue atingir onde quer chegar, o que requer autorrealização. Segundo: liderança não é ter bons valores, e sim testar esses valores sob pressão.

Você não sabe quais são seus valores até que eles sejam testados sob pressão. Você tem que fazer sacrifícios, tem que sacrificar seu bônus, desistir do seu trabalho, ter coragem para alinhar tudo...

Esse é o teste. Quando você vê seus verdadeiros valores, é aí que as pessoas te enxergam. Terceiro: além disso, deixe-me falar sobre um ponto valioso.

É um termo em que chegamos da seguinte maneira: Começa ao juntar suas motivações com as suas maiores habilidades. Mas se analisar suas motivações, verá que estão divididas em duas categorias:

Suas motivações de força, quais são elas? Desejo por sentir se está sendo bem feito, sentir que está obtendo sucesso, ganhar muito dinheiro, ter um grande cargo, conseguir uma boa promoção no trabalho,

sentir que está cumprindo todas as coisas que são motivações fortes. Não há nada errado com essas coisas. Você deve equilibrá-las com os seus interesses.

O que é realmente importante para você? Quais são as motivações intrínsecas e mais importantes para você? É fazer um bom trabalho? Criar um grande produto?

Construir uma grande empresa? Ok. É ter uma família? É ser quem você realmente é? E então, do outro lado, use seus pontos fortes.

Se der para combinar e achar um trabalho que te motive de verdade, no qual você é realmente bom, juntando isso, é uma combinação perfeita.

Quarto: sempre tenha uma equipe de suporte ao seu redor. Essa equipe começa com aquela pessoa com quem você consegue ser totalmente honesto. A minha, é a minha esposa Penny, conto tudo para ela.

Talvez seja seu irmão, seu melhor amigo, se você não tem nenhum, consulte um analista com quem possa falar. Você precisa integrar todos os aspectos da sua vida.

E acho que um líder consegue integrar todos os setores de sua vida, mas o que isso significa? Não vai haver perfeição na sua vida.

Não dá pra tudo ser perfeito tendo que pegar três voos de Minessota para Atlanta, para Miami, e depois São Paulo. Entende? Não dá para tudo ser perfeito na vida.

Mas você pode ser a mesma pessoa aonde quer que esteja. Pode ser a mesma pessoa à frente de um auditório com 40 mil pessoas que é com seus entes queridos, ou alguém que você encontrou depois do jantar.

E finalmente, qual o propósito da sua liderança? Se vou seguí-lo - voltando ao que eu disse no início - Qual é o propósito da sua liderança?

Porque eu deveria seguí-lo ao menos que você saiba onde quer chegar? Onde você quer chegar? O que você fez para mudar o mundo?

É a sua última chance... O que você vai dizer fará toda a diferença. Diria que o tempo para pensar nessas questões é agora. Não espere!

Pois você deixa um legado todos os dias. Agora quando sair para pegar o jornal, faça algo bom para o seu vizinho. Alguém que precise de ajuda,

a mulher na escada rolante, que vi ontem, assustada, ela ia cair dos degraus pois não estava acostumada a usá-la. É assim que deixamos um legado de quem somos todos os dias.

O tipo de ser humano que é e o propósito que quer deixar. Qual é a sua paixão? O que você está fazendo para seguir o seu coração?

Para realizar as coisas mais importantes da sua vida? É isso que fará a diferença, é isso que você contará a sua neta. No fim do dia, é isso que importa.

Deixe-me encerrar com as palavras de Albert Schweitzer, ganhador do Nobel da paz: "Não sei qual será o seu destino, mas há algo que posso dizer,

os que estão ao seu redor, que serão muito felizes, são os que viram e descobriram como servir." Todos somos líderes que servem.

Se pudermos ser autênticos, ninguém pedirá mais de nós do que sejamos nós mesmos, pessoas autênticas. Podemos fazer a diferença no Brasil, na nossa cidade natal, nossa comunidade,

na nossa família, no trabalho e no mundo à nossa volta. Assim nos tornamos grandes e autênticos líderes globais. Muito obrigado!