Muitos gestores estão insatisfeitos com as projeções lineares e frequentemente equivocadas dos tradicionais sistemas de prognósticos e elaboração de orçamentos. No mundo em que se movimentam, não há somente mais riscos, como também mais incertezas. As notícias dos jornais sobre demissões, falências –incluindo as dos próprios jornais–, países à beira do desastre, como Islândia, Portugal e Romênia, a escassez de alimentos em escala mundial e outras notícias similares apenas anunciam mais turbulência global. E em pouco tempo podem acontecer muitas coisas como se viu no setor bancário.

O relatório Riscos Globais 2008, do Fórum Econômico Mundial, identifica uma série de ameaças importantes para a economia global:

Esses desafios nos fazem deduzir que o ambiente de negócios e o financeiro sofrerão maior volatilidade, tal como mostra o gráfico abaixo. Para construí-lo, medi a volatilidade exibida pelo índice Nasdaq ano após ano. Nos 70 anos que vão de 1938 a 2008, a tendência mostra uma curva ascendente, o que significa que a mudança “imprevista” se desenvolveu constantemente ao longo desse período. Porém a curva fica mais pronunciada nas últimas décadas, o que nos leva a pensar que a incerteza aumentará realmente. A seguir, as dúvidas mais comuns e minhas recomendações.