Transcrição:
Clique na frase para navegar pelo vídeo

Um grupo de cientistas sociais ao redor do mundo Fizeram este estudo profundo sobre o que motiva as pessoas A fazerem um bom trabalho

E o que eles encontraram foram os tradicionais meios motivacionais Dinheiro, mas não só isso, promoções, recompensas, bônus Particularmente, como posso dizer, recompensas "e se"

Se você fizer isso eu te dou aquilo As recompensas "e se" são ótimas para trabalhos simples, mas não para trabalhos criativos, não chega nem perto disso

Então, dinheiro importa, de certo modo, dinheiro é importante você tem que pagar o suficiente as pessoas, você deve tratá-las de maneira justa, mas uma vez que você paga as pessoas o suficiente,

se você realmente quiser inovação, o segredo não é ficar segurando dinheiro oferecendo mais promoções, mas dar as pessoas um valor intrínsico em seus trabalhos no sentido de autonomia a capacidade de fazer progresso

e um sentido de propósito. Vamos dar um passo para trás e falar sobre as nossas noções de gerenciamento gerenciamento, uma vez que é apenas uma tecnologia, é uma tecnologia de

organizar as pessoas em capacidades produtivas É uma tecnologia bem antiga, é uma tecnologia de 1850 e é sobre fazer pessoas obedecerem. Pegar pessoas para fazer o que você quer que elas façam da maneira

que você quer que elas façam. Nós precisamos de alguma complacência hoje em dia me dia, mas o que nós precisamos mais do que tudo é de compromisso Nós precisamos de pessoas que se comprometam e, da maneira que nós seres humanos

nos comprometemos, não é sobre ser gerenciado, não é sobre ser controlado é sobre a obtenção por conta própria e autonomia significa dar a algumas pessoas um pouco de soberania, um pouco de autonomia sobre o que fazem, quando fazem e

com quem fazem, então as pessoas possuem uma pequena quantidade de auto-direção que eles podem explorar mais e estas são práticas bem interessantes, que parecem estranhas, bizarras e que estão, na verdade, acelerando este tipo de comportamento.

Seres humanos gostam de ficar melhor nas coisas, gostam de fazer progresso, porque? porque gostam de ficar melhor nas coisas, é naturalmente satisfatório Quando pessoas fazem progresso, quando as pessoas fazem melhor, quando as pessoas

ficam melhor em algo é naturalmente satisfatório e é uma grande parte do que é ser um Ser Humano é uma grande parte da produtividade e do comprometimento com o trabalho E, pelo menos, no meu ponto de vista, é ignorado quase que por completo pelas empresas

E se nós reformularmos o lugar de trabalho só um pouco, ajudar a colocar as pessoas em posições em que elas façam progresso, ajudar as pessoas a verem o progresso que fazem ajudar as pessoas a definir seus próprios objetivos, enriquecer o ambiente de trabalho

considerávelmente, acredito que assim as pessoas fariam um trabalho melhor. Nós costumamos pensar que gerenciamento é dizer as pessoas como fazer as coisas, É assim que se faz, faça da maneira correta, mas nós nunca falamos muito sobre o porquê

em primeiro lugar, por que estamos fazendo isso? Como o que eu faço contribui para um bem maior? Isso na verdade é um problema fácil de se resolver, se nós falarmos um pouco mais

sobre o porquê e um pouco menos sobre o como. E se nós conectarmos o que fazemos a cada dia para um propósito maior, então a evidência é bastante clara que isso melhora

a performance. Existem muitos exemplos interessantes de empresas particularmente autônomas que estão fazendo coisas muito interessantes, então, vamos pegar uma empresa como a

empresa americana Netflix, uma empresa muito disruptiva. Netflix teve, como grande parte das empresas, políticas de férias, você tira três, quatro semanas de férias. A política de férias da Netflix, eles não tem uma. As pessoas podem tirar

o tempo que quiser de férias, quando quiserem. Autonomia total sobre quando você vai pro trabalho Tem outro exemplo de uma prática que está emergindo que é o ambiente apenas de resultados,

onde as pessoas não tem horários, eles não precisam estar no escritório em uma hora determinada Elas precisam completar o seu trabalho, mas quando elas fazem isso é totalmente da escolha delas

Se você olhar para outro exemplo, um dos meus exemplos favoritos, uma empresa australiana chamada Atlassian, uma empresa de softwares. Eles fazem uma coisa bem legal, uma vez cada trimestre

Eles falam para os seus desenvolvedores de softwares, na tarde de quinta-feira: Vão trabalhar com qualquer coisa que vocês quiserem Faça da maneira que você preferir, com quem você preferir, autonomia total.

A única coisa que queremos é que você mostre os seus resultados para a empresa na tarde de sexta-feira, neste encontro divertido. Eles chamam isso de "dias Fedex" porque você tem que entregar alguma coisa de um dia para o outro

Esse único dia de autonomia levou a uma grande gama de combinações para empresas, produtos uma gama de ideias para novos produtos, melhoramentos para os processos internos Que nunca iriam emergir de outra forma

Então essa é uma forma bem diferente de abordar a motivação. Não é como dizer: "Ei, se você fizer algo bom, eu te dou um biscoito" É sobre nós contratarmos boas pessoas que querem fazer um bom trabalho e talvez

uma boa maneira de fazer com que as pessoas façam um bom trabalho seja sair do seu caminho por um dia Então, existem muitas destas práticas emergentes que

não se trata de controlar as pessoas e sim de dar-lhes autonomia Uma das empresas que fizeram o ambiente apenas de resultados é uma empresa muito tradicional, é uma empresa chamada BestBuy

e aqui estamos nós no teatro Bestbuy É uma grande empresa vendendora americana, eles não fazem isso em suas lojas, mas em sua sede em Ritchfield, Minnessota

90% dos empregados lá não possuem horários, eles não precisam, você sabe, grande parte das pessoas falam no domingo a noite"ah, não, vou ter que ir para o escritório segunda de manhã" e eles não precisam ir para

o escritório segunda de manhã, mas eles precisam realizar seu trabalho. Se eles não realizarem seu trabalho, está tudo acabado para eles, mas eles podem aparecer no trabalho quando quiserem

E essa é uma grande empresa, uma empresa pública que fez este tipo de transição Agora, com isso em mente, é mais difícil estabelecer empresas que emprendedorismo. Autonomia não significa eu faço o que eu quero e os outros "que se virem"

Uma das coisas interessantes que acontecem agora são passos para permitir as pessoas certa autonomia sobre a sua equipe, então, deixe eu te dar alguns exemplos interessantes sobre isso Tony Hsieh fala sobre

se o motorista do ônibus da Zappo's que te pega para a entrevista de emprego não gostar de você você não será contratado, então, todo mundo tem algo a dizer sobre quem é contratado E um número de vendendores assim. Onde o gerente contrata alguém e a pessoa trabalha, digamos,

por trinta dias, mas a equipe decide se aquela pessoa irá ficar e isso é autonomia sobre a sua equipe O facebook faz algo bem interessante, eles contratam engenheiros e os colocam nesse facebook boot camp.

Os engenheiros vão e decidem, se encontram com várias equipes de produto, várias equipes de tecnologias e no final desse período de duas ou três semanas o indíviduo decide com quem ele quer trabalhar, assim a

empresa contrata o talento, mas o talento escolhe sua equipe Então eu acho que as equipes mais poderosas em qualquer tipo de empresa são as equipes com auto-direção Não equipes que são gerenciadas por alguém, mas equipes que possuem sua própria autonomia, então as

equipes podem ser autonomas e possuír sua própria auto-direção e há várias maneiras de juntar essas equipes, o que é sem dúvidas mais eficiente.

Além disso nós temos vários motivadores que foram feitos para os trabalhos do século XIX ou até mesmo do século XX e são ótimos para coisas como girar o parafuso da mesma maneira na linha de produção Ou enchendo envelopes, esse tipo de trabalho.

Mas pouquissímas pessoas estão fazendo este tipo de trabalho, as pessoas estão fazendo um trabalho que envolve julgamento, pensmento crítico, criatividade, inovação e para esse tipo de trabalho, esses mecanismos de motivação não são eficientes

eles não funcionam muito bem e então eu acredito que, eventualmente, mais e mais organizações estarão indo nesta direção, agora, eu não sei se isso vai se tornar mundial em dois, dez, vinte anos

mas eu acho que é invevítavel Eu acho que a razão da concepção que requer mais das habilidades artisticas e de empatia do lado direito do cérebro pede uma diferente abordagem de motivação que é, você não pode, quero dizer

se você tem uma equipe de artistas, eles não podem ser os responsáveis por.. pode parecer intuitivo mas há muito de ciência social nisso. Se você quer que os artistas façam um ótimo trabalho, você não os trata como se eles fossem colocadores de selo em envelopes.

Você não diz, ei eu te pago um bônus de dez mil dólares por um grande quadro e dá prazos curtos e fica monitorando o trabalho. Não é assim que os artistas trabalham e cada vez mais, nós estamos agindo como artistas nós estamos criando coisas e resolvendo problemas complexos e do que os artistas precisam

é de liberdade, segurança, um pouco de segurança de base, e liberdade para fazer as coisas e a capacidade de fazer as coisas a sua maneira e esses são os tipos de melhorias que nós precisamos no local de trabalho ao invés de insistir em um modelo ultrapassado

Muito da ciência que tem sido ensinada nas escolas de negócios Tem sido ensinado por Douglas McGregor e Edward DC e Herzberg.

e eles tem sido quase que totalmente ignorados então eu acho que em diversos meios, como Roger Martin e os outros colegas aqui neste evento disseram no passado, escolas de negócios usam uma

análise qualitativa para decidir entre opções conhecidas e essa é uma habilidade importante, mas não a única habilidade e essa não é a habilidade que leva a inovação, não é a habilidade que leva ao Twitter, não é a habilidade que leva ao iPad não é a habilidade que leva as inovações na ciência

O que leva as grandes inovações na ciência e em qualquer outro campo é contratar ótimas pessoas e colocá-las em um ambiente onde eles tenham liberdade, um ótimo feedback no que estão fazendo e que eles vão para o trabalham e saibam o que estão fazendo e porque estão fazendo.