A transformação digital demanda uma nova abordagem de liderança não apenas nas unidades de negócios, mas também nas funções da organização. Segundo paper recente da empresa de talent search Egon Zehnder, agora é preciso focar a informação que flui no ecossistema de negócios, entendendo que são os fluxos de informação que antecipam as necessidades dos clientes, eliminam ineficiências operacionais e levam ao desenvolvimento de novos produtos, serviços e mercados.

O estudo relaciona desafios específicos e gerais de cada função. Os específicos são:

  • Finanças: assegurar que a infraestrutura financeira esteja alinhada com a quantidade e o tipo de nova transação que surgirá com os canais digitais; identificar oportunidades de monetizar os processos digitais.
  • Marketing: criar campanhas omnicanais integradas e jornadas do consumidor com curadoria; alavancar o big data para gerar insights  sobre os consumidores que sirvam à inovação e à diferenciação; gerenciar a explosiva demanda por conteúdo.
  • Recursos humanos: repensar e otimizar, com tecnologia, cada ponto de engajamento dos funcionários desde a contratação (integração, feedback, desenvolvimento, gestão de carreira etc.); gerenciar a  cultura e a reputação no ambiente digital.
  • Tecnologia da informação: fazer a equipe evoluir; gerentes de infraestrutura de TI devem virar impulsionadores de uma estratégia de TI que habilite a organização a executar sua agenda digital. 
  • Relações institucionais: realizar a gestão integrada da reputação corporativa em todos os âmbitos de maneira sofisticada, proativa, imediata e consistente, a ponto de refletir um ambiente com pouca ou nenhuma assimetria de informação. 
  • Jurídico e compliance: desenhar uma estratégia proativa e também respostas às atuais ondas de riscos e mudanças tecnológicas (cibersegurança, mídias sociais, modelos de negócio disruptivos), tanto para a empresa como um todo quanto para a função jurídica.
  • Gestão de supply chain: construir a infraestrutura necessária para gerenciar as expectativas de disponibilidade imediata e personalização que os consumidores têm. 
  • Sustentabilidade: alavancar as tecnologias digitais para habilitar soluções que sejam mais eficientes no uso de recursos, tanto para a organização como para seus clientes.

Quanto aos desafios gerais, eles são três; cada função precisará: conduzir a mudança; derrubar as fronteiras existentes com outras funções para formar times com elas; e aprender a operar sem organograma (e sem se limitar a sua descrição de cargo). 

Para que os líderes vençam esses novos desafios, quatro atributos são necessários, afirma a Egon Zehnder: curiosidade, capacidade de gerar insights, engajamento e determinação na busca da meta.