Quando, duas vezes por ano, Marco Antônio Stefanini participa do Fórum de CEOs Brasil--Estados Unidos, criado pelos presidentes dos dois países em 2007 para ampliar o fluxo comercial bilateral, não é possível imaginar que era professor em sala de aula há 20 anos apenas. Como presidente da Stefanini IT Solutions, ele divide a mesa com colegas de empresas como Alcoa, Cargill, Intel, Coca-Cola e Motorola, entre as do lado de lá, e Coteminas, Votorantim, Banco Safra, Gerdau, Cutrale, Camargo Corrêa, Odebrecht, Embraer e Vale, deste lado.

Nada mal para quem criou (e mantém), sem sócios nem dívidas, a 18ª maior multinacional brasileira, que fatura cerca de R$ 674 milhões anuais. Marco Stefanini é, além isso, o único representante brasileiro no Fórum de um setor que, praticamente sozinho, já reinventou economias inteiras, como a da Irlanda e a de Israel. Ao lado de Greg Brown, da Motorola, ele responde por ações voltadas às áreas de educação e empregabilidade, dando continuidade a seu ativismo empresarial, que já se via na fundação da Brazilian Association of Information Technology and Communication Companies (Brasscom).

Tal trajetória inaugura a seção “Empreendedores Brasil” de HSM Management em grande estilo, na qual pretendemos contar as experiências e exemplos que moldam um negócio de sucesso, o que se evidencia na expansão geográfica contínua da Stefanini, tanto no Brasil –que, seu fundador gosta de reforçar, é muito maior do que São Paulo– como no exterior.