Você sabia que, na China, há lojas do Walmart que entregam os produtos comprados pelo site em 30 minutos a um custo equivalente a US$ 1? Quem contou isso foi Doug McMillon, CEO mundial do grupo supermercadista, na NRF 2018, o “big show” do varejo mundial em Nova York, do qual acabo de voltar. McMillon afirmou que o Walmart está se tornando uma empresa de tecnologia e, por isso, está lançando duas academias para retreinar seus funcionários em torno de uma cultura de mudança, compatível com uma empresa de tecnologia.

Também na NRF, a consultora Kate Anckettill, da GDR Creative Intelligence, endossou a mudança de posição do Walmart, ao afirmar que os gestores do varejo, não importa

de que tamanho ou segmento, têm de mudar o mindset e pensar como plataforma, como se fossem a Amazon. Tendências como fragmentação do mercado, mudança do comportamento dos consumidores, excesso de lojas e ascensão das experiências sobre os produtos estariam levando a isso, segundo ela.