Transcrição:
Clique na frase para navegar pelo vídeo

Que tipos de desafios vocês enfrentam?

São desafios técnicos?

Vocês se perguntam: "O que é um desafio técnico?"

Um desafio técnico é um que pode realmente ser respondido se você tiver a pessoa certa.

Talvez você seja a pessoa certa. Talvez não seja. Encontre essa pessoa e resolva o problema. Geralmente,

as pessoas que criaram o problema não são as pessoas que podem solucioná-lo. Por ser um grande líder,

você encontra outra pessoa, e essa pessoa solucionará o desafio,

todo mundo voltará ao trabalho e pronto.

Talvez os três desafios nos quais vocês estão pensando sejam técnicos,

talvez não sejam.

São desafios adaptativos?

Se seu desafio é 100% técnico, é uma boa hora para pegar um café.

Se seu desafio é mais de 70% adaptativo, uma liderança estabelecida vai ajudar.

Se você está no meio-termo, alguns técnicos e alguns adaptativos, você precisará de ambos. E é por isso que estamos aqui.

Estamos aqui para resolver problemas que não têm respostas em um mundo que se move rapidamente e é incerto e imprevisível.

Como se tornar um líder centrado?

Comecem pensando em si mesmos como icebergs.

Percebem como a sala está fria? Todo mundo ao seu redor é um iceberg, é por isso que está tão frio aqui agora.

Comece com o que você vê.

Seus comportamentos; o que você diz, o que você faz, sua aparência...

As pessoas estão te julgando o tempo todo. Você tem mais consciência do que é tudo isso, e se for abaixo da linha d'água,

no que você está pensando e o que está sentindo,

mas não está contando a ninguém?

E se você desce ainda mais, mais profundamente, no que você acredita verdadeiramente? Quais são seus mindsets que estão orientando seu comportamento?

E se descer até o fundo,

o que você precisa que aconteça?

Quando você se torna consciente,

pode fazer uma escolha. Então a liderança centrada começa tornando-se consciente e conseguindo acessar esse iceberg inteiro.

Há cinco partes para a liderança centrada. Parece muito, mas na verdade é pouco:

significado - falaremos sobre força - enquadramento - falaremos sobre escolhas -

conexão - falaremos sobre confiança - participação - uniremos esperança e medo

para criar energia para ação - e falaremos sobre recuperação, porque todo mundo nesta sala precisa

- e todo mundo que não está nesta sala e está escutando - ser mais esperto em relação à energia. Significado.

Pense no seu ano.

Pode ajudar fechar os olhos – estão me vendo fazer isso, podem fazer também.

Respirem fundo.

Exalem mais fundo ainda.

Conforme respiram,

pensem no seu ano e encontrem o ponto alto deste ano;

um momento em que estavam cheios de energia.

Jogar a bola para fora do estádio, como dizemos nos Estados Unidos.

Vocês estavam incríveis.

Vocês estavam com uma energia muito positiva, e algo nessa experiência fez vocês se sentirem muito bem consigo mesmos.

Vão para lá agora

e se perguntem o que naquele momento

vocês mais valorizam em si mesmos.

Esse é o seu ponto forte.

Pontos fortes não são habilidades.

Você pode desenvolver habilidades e elas podem tirar a sua energia.

Talvez você seja muito bom em matemática,

mas você a odiava. Talvez você seja um vendedor fabuloso,

mas prefere ficar sozinho.

O que te enche de energia e o que você mais valoriza em si mesmo? Esse é o seu ponto forte.

O ponto mais baixo do seu trabalho, quando você não deu o seu melhor,

o que estava acontecendo com você? O que você sentiu no seu corpo?

Que sensações emocionais você teve?

Na sua mente, no que você estava pensando sem dizer a ninguém?

Vá para lá agora, são só dois minutos se sentindo desconfortável.

Reviva essa experiência horrível.

Fariam isso por mim?

Vão para esse lugar agora.

O que você estava sentindo fisicamente, emocionalmente, e no que você estava pensando?

Essas são as suas pistas.

Talvez você veja seu sintoma na tela.

Talvez você tenha começado a suar, a ficar vermelho, e talvez você tenha tido vontade de socar aquele cara

porque ele mereceu,

ou talvez tenha se sentido enjoado e pensou que ia vomitar se não saísse dali.

Talvez você quisesse chorar.

Talvez não tenha sentido nada, literalmente escorrendo pelo ralo. Nada mesmo.

Seja lá o que você sentiu,

essa é a sua bandeira vermelha.

Se você pode se conectar com o seu corpo

– ele sabe o que está acontecendo antes de você – se você é muito bom em entender suas emoções, isso também vai te ajudar.

O que é uma pausa? Uma pausa é a habilidade física de sair de onde você está, de dar um passo para trás e respirar.

É mais ou menos assim: você está em uma reunião e pode fechar seus olhos – todos nós fazemos isso –

e respirar fundo.

Quando você abre os olhos, você não quer mais ofender aquela pessoa que queria ofender. Se você tem medo de fechar os olhos,

eu não culpo você.

Sinta seus pés no chão,

sinta suas nádegas na cadeira

e perceba que está seguro.

Este é apenas um argumento.

Conte até dez se isso não funcionar para você.

Uma executiva me disse que afasta a cadeira da mesa.

Beba um pouco de água. Mudar seu estado físico ajuda você a mudar seu estado emocional de propósito.

Líderes podem agir.

Os melhores líderes

– pensem em um líder que vocês conhecem.

Eles são inteligentes, certo?

Eles têm um grande objetivo,

eles fazem planos,

eles tomam decisões,

eles mensuram o que acontece,

eles recompensam pessoas; escolhem as pessoas certas e as recompensam. É isso que os líderes fazem.

Qualquer um pode fazer isso. Todo mundo pode fazer isso. Este é o antídoto para ser um líder:

grandes líderes tocam pessoas,

e o jeito de tocar pessoas

é colocar-se no lugar delas. O trabalho de um líder é escutar.

Escutar não apenas para conseguir obrigar as pessoas a fazerem o que você sabe que é certo para a empresa.

O trabalho de um líder é ouvir não apenas para entender os fatos e preencher o que você não sabe.

Isso é escutar, não é escutar ao extremo. Escutar ao extremo é quando você vai realmente até

onde aquela pessoa está e sabe de onde ela vem.

Grandes líderes escutam ao extremo.

Grandes líderes também geram confiança. Muitas mulheres nesta sala e alguns homens

são tão autocríticos,

buscam a perfeição

em tal nível que não conseguem se aceitar.

Se você é assim,

não conseguirá aceitar mais ninguém no trabalho até que comece por si mesmo.

Estou falando sério: sendo você homem ou mulher,

todos os dias você precisa se esforçar para apreciar apenas uma coisa – uma coisa nova – em si mesmo que você fez naquele dia.

E você aprenderá a aceitar que somos humanos,

somos cheios de falhas, incluíndo você.

Uma vez feito isso, você pode ver mais nas pessoas ao seu redor e ajudá-las a dar mais para a oganização.

Você precisa dessas quatro coisas para estabelecer confiança, e a maioria de nós começa com: "Eu não confio nessa pessoa"

ao invés de: "como faço para essa pessoa confiar mais em mim"?

É nisso que eu quero que pensem.

Como inspiro outras pessoas a confiarem mais em mim?

Sua energia física,

sua energia mental, sua energia emocional,

sua conexão com os outros, e a sua energia espiritual – mesmo que você não seja uma pessoa religiosa,

você pode ter energia espiritual. Pode ser a sua prática de mindfulness. Pode ser escutar beleza,

música, arte, pode ser andar na natureza. São fontes de energia espiritual.

Dê uma nota a você, da menor à maior.

Todos nós queremos atingir – não há ninguém nesta sala que não queira atingir um alto desempenho

o tempo todo. Nós acordamos com alto desempenho:

"Serei incrível no trabalho hoje, será um dia fantástico! Vamos tomar uma decisão, vamos fazer tudo"

e aí chegamos ao trabalho e o que vemos? Pessoas que não fazem o que mandamos, pessoas que cometem erros,

pessoas que dizem que não podemos tomar uma decisão, clientes que não vão comprar nossas coisas, fornecedores que não vão entregar nossas coisas,

problemas, problemas, problemas.... E logo ficamos negativos:

"Droga, eu queria que as coisas tivessem sido melhores hoje. Estou tão bravo, vou terminar isso no prazo, vou fazer esse cliente comprar,

vou demitir todo mundo. Vou ficar bravo com as pessoas e explodir".

Ficar pessimista é muito cansativo,

então logo, se fizer isso dia após dia, semana após semana, o que acontece?

Chega um dia em que você diz:

"Acho que não vou trabalhar hoje, eu não me importo".

Se você realmente quer ser produtivo, você vai precisar de dez minutos para se recuperar de cada vez.

Você não precisa descansar metade do dia, mas dizer: "Pessoal, vou descansar um pouco, vou ao cinema e vejo vocês à tarde".

O que você precisa fazer?

Criar um ritual que realizará por dez minutos no trabalho legalmente.

Talvez seja dar uma volta lá fora, talvez seja olhar pela janela,

talvez seja conversar com alguém na sua vida que seja interessante para você, seja porque essa pessoa tem boas ideias

ou porque é alguém que você ama.

Talvez você só entre na internet e aprenda algo novo.

Independente da sua escolha,

seja específico: "É isso que vou fazer".

Algo vai te atrapalhar:

trabalho, chefe, prazo. Descubra o que vai te atrapalhar e como você vai desviar disso. Em suma,

trabalho tem a ver com desafio.

Trabalho tem a ver com muitos desafios, e a boa notícia é que se você gosta de desafios, você verá um novo desafio basicamente toda semana.

Haverá muitos para enumerar. Muitos desses desafios estão no meu novo livro. Se você for um millenial com menos de 40 anos,

esses são os desafios que você está enfrentando. Se você é um executivo sênior que tem muitos millenials na sua organização,

é isso que eles estão enfrentando.

Meu favorito: todos os vilões de escritório que prosperam em suas empresas porque todas as empresas têm.

É preico enfrentar esses desafios para crescer, para alcançar, para fazer a diferença. Como fazer isso?

Cada um, conforme chegamos ao fim,

pergunte a si mesmo

qual mindset escolhe.

Você pode entrar por qualquer uma das cinco portas da liderança centrada:

significado, força, enquadramento, mudança, conexão, confiança ou escuta; participando, olhando primeiro o que é bom

ou energizando, praticando a recuperação. Qual é o mindset que você escolhe para si mesmo

que você vai mudar? A escolha é sua, não está acontecendo com você,

e o que você pode fazer diferente no trabalho para realizar esse desafio com o qual começou? Tudo se resume ao mindset.

A não ser que você seja um robô, o que eu não acho que seja,

você tem aquele iceberg abaixo da linha d'água e é aí que vive o seu mindset, e ele orienta tudo o que você faz.

Eis o que se pode fazer, vou propor um desafio:

use algo que você aprendeu aqui. Comece com força, estabeleça um propósito diário,

pause quando estiver chateado

e se pergunte, escute em total silêncio sem nenhuma vocalização,

pense em como você pode inspirar alguém a confiar mais em você.

Comece com o lado positivo,

faça um pré-mortem do seu pior pesadelo,

recupere-se, divirta-se fazendo isso. Faça algo e, sem julgar,

perceba o que acontece com você, perceba a experiência que você está tendo.

Absorva-a. Como você sente seu corpo? Sua emoção?

No que você está pensando que não está dizendo às pessoas?

Compartilhe a sua experiência.