A primeira coisa que quase todo mundo nota em Jeff Bezos é como ele caminha a passos largos ao entrar em uma sala. Figura surpreendentemente pequena, de calça jeans e camisa listradinha abotoada, o fundador e CEO da gigante do varejo online Amazon abre a porta de supetão e toma conta do espaço com voz explosiva e atitude confiante.

A primeira coisa que quase todo mundo nota nos 12 prédios do campus da Amazon em Seattle,Estados Unidos, é que eles são batizados segundo marcos históricos da empresa. Um exemplo é o edifício Wainwright, que homenageia o primeiro cliente. Outro é o edifício Day One North, que, mais do que remeter à data de inauguração da empresa (16 de julho de 1995), representa uma ideia motivadora central de Bezos, repetida desde sua primeira carta para os acionistas, em 1997: “Ainda estamos apenas no primeiro dia”. Isso vale tanto para a internet e seu desenvolvimento como para a Amazon e seu negócio de varejo.

A julgar por seu entusiasmo dos últimos tempos, o Day One North poderia ser rebatizado como “dia zero”. Em uma assembleia de acionistas recente, o empresário afirmou que “o despertador nem tocou ainda” e, indagado por esta reportagem sobre como seriam os dias subsequentes ao número um, insistiu: “Por enquanto, estamos dormindo!”.