Ocontexto socioeconômico que o País vive coloca à prova os sentimentos de qualquer um, especialmente de quem aposta em seu trabalho para ser alguém no futuro.

Sentir-se orgulhoso de pertencer a uma organização, sentir-se dono daquele negócio, sentir-se feliz de trabalhar com as outras pessoas, sentir vontade de aprender com elas e lhes ensinar também, tudo isso fica em segundo plano diante do noticiário atual. Uma pergunta, talvez nunca verbalizada, persegue todos nós: será que vale a pena qualquer esforço quando grandes negócios mostram sucumbir ao canto da sereia do dinheiro fácil?

Responderei a esse questionamento envergonhado aqui e agora: não deixe o contexto ruim enfraquecê-lo e desviá-lo de seu autogerenciamento. Ao contrário, essa é a hora de reafirmar seus objetivos, colocando-os no papel, buscando conhecimento para alcançá-los, recebendo aconselhamento independente. É hora de ter um egoísmo saudável, que o faça pensar em suas perspectivas, não nas do País, porque ciclos econômicos vão e voltam.