No início de maio último, a Berkshire Hathaway, holding do investidorWarren Buffett, desembolsou US$ 142 milhões para comprar a Media General, dona de 63 jornais regionais nos Estados Unidos. A aquisição surpreendeu muita gente, porque, durante a última década, à medida que as pessoas se acostumaram a ter acesso a notícias por meio de outras fontes —internet, por exemplo—, houve uma redução abrupta da quantidade de jornais vendidos e da receita publicitária, com a consequente queda do preço das ações das empresas jornalísticas nas bolsas.

A que se deve a estratégia de Buffett? Seu argumento é que os jornais locais e regionais continuam tendo uma vantagem competitiva sustentável, pois exercem, de fato, o monopólio da distribuição da notícia impressa e da publicidade em suas regiões. Mas diz também que, se aspiram a continuar rentáveis, devem deixar de oferecer seu produto principal gratuitamente na internet. Parece que os jornais que se caracterizam por colocar relativamente pouco conteúdo na internet, como os japoneses, lhe dão razão, já que suas vendas se mantiveram estáveis.

Muitos jornais hoje seguem o exemplo da News Corporation, que desde meados de 2010 tem o The Times e o The Sunday Times protegidos por um paywall (sistema que impede o acesso livre ao conteúdo das páginas de notícias).