Está cada vez mais difícil debater qualquer assunto. Essa é uma constatação que se faz quase diariamente nos mais diversos ambientes, incluindo o local de trabalho.

A Stanford Magazine ouviu quatro professores da universidade sobre como assegurar o diálogo franco, a livre troca de ideias e a diversidade de pontos de vista no campus. Embora tenham como base o ambiente acadêmico, são lições sobre liberdade de expressão que valem para muitas situações atuais.

Ralph Richard Banks, professor da Faculdade de Direito: Precisamos cultivar a paciência, sendo menos propensos a nos ofender e a atribuir intenções negativas aos outros. Precisamos ter em mente que estão criticando nossa posição, não a nossa pessoa. De maneira simples, é pegar leve com o outro, e esperar que façam o mesmo conosco. Assim podemos nos unir para entender este mundo complicado em que vivemos.

Michael McConnell, diretor de Centro de Direito Constitucional: Nestes tempos altamente polarizados, os moderados são os mais ameaçados, pois não encontram espaço seguro para se manifestarem. É preciso estimular ativamente a diversidade de opiniões. O pluralismo saudável de opiniões é uma necessidade pedagógica.

Hazel Rose Markus, professora de Ciências do Comportamento: A capacidade de ouvir não é algo natural. Requer um conjunto de valores e habilidades que têm como base o entendimento de que, para muitas questões, geralmente há mais de uma resposta correta. É importante ouvir para aprender e fazer as perguntas certas.

Debra Satz, professora de Ética: Alguns estudantes acham que valores morais são subjetivos, uma mera questão de opinião. Isso não é verdade. Podemos sujeitar nossos valores à discussão, confrontando nossas ideias com outras formas de pensar e ver se elas sobrevivem às críticas.